quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Quando o amor se aproxima



Viver sem amor não é possível...
Estar sem amor é triste...
Buscar o amor é divino!
Então, quando chega o amor, um novo amor, novas possibilidades de vida e alegria se tornam presentes.
Um amor de verdade chega de mansinho, como quem não quer nada.
Um amor sussurra, envolve, seduz...
O corpo fala!
A voz silencia!
O olhar se extasia!
As sensações são inebirantes.
Novas alegrias ressurgem, novos sonhos acordam, novos horizontes se abrem, novos desejos aparecem.
É o amor que se aproxima e torna a vida menos dura.
É o amor que se aproxima e dá novos sentidos.
É o amor que se aproxima e exige reciprocidade.
É o amor que se aproxima e ilumina os dias.
É o amor que se aproxima e indica caminhos e direções.
É o amor que se aproxima e dá novo ânimo e libera novas energias.
É o amor que se aproxima e garante mais otimismo e altruísmo.
É, enfim, o amor que se aproxima e torna poeta quem, nas palavras, busca refúgio e tranqüilidade.
Quando o amor se aproxima entendemos o quanto a vida pode ser generosa.
A felicidade se completa!

(Alex Mühlstedt - inexplicavelmente sereno)




Um comentário:

Eu disse...

Viver sem amar não é possível...
O amor encanta;
O amor seduz;
O amor é gentil;
O amor é mais que desejo;
Mas o desejo é embebecido pelo amor;
O desejo se alimenta do amor;
Como é bom amar!
Como é bom pensar no ser amado;
Acordar e ligar;
O corpo estremece ao falar com o amor;
O amor não tem explicação;
Não tem barreiras;
Não tem distância:
O amor encanta;
O `meu amor` me encanta!